Menu fechado

Desenvolvimento Científico e Tecnológico

A ciência, a tecnologia e a inovação são, no cenário mundial contemporâneo, elementos fundamentais para o desenvolvimento, o crescimento econômico, a geração de emprego e renda, e a democratização de oportunidades. O trabalho de pesquisa desenvolvido pelas universidades e institutos de pesquisa, públicos e privados, aliados ao engajamento das empresas são fatores determinantes para a consolidação de um modelo de desenvolvimento sustentável, capaz de atender às justas demandas sociais.

De fato, com a globalização econômica, que constitui uma das principais características do mundo contemporâneo, um país, seus estados e suas regiões estão sujeitos a um intenso grau de competição, seja para participar de mercados extrarregionais, seja para fazer frente a produtos de origem externa. Todavia, como toda competitividade é sistêmica, para que nosso Estado seja competitivo, neste novo contexto, é fundamental que todas as suas regiões sejam, também, competitivas. Por outro lado, salienta-se que as políticas de CT&I constituem uma das componentes mais importantes do desenvolvimento social e econômico de qualquer nação. Prevalece a compreensão de que o conhecimento se tornou o principal fator de produção, capaz de promover a transição das forças produtivas a um nível mais elevado de geração de renda e emprego. Na contemporaneidade da sociedade do conhecimento, que está estruturada, cada vez mais, em redes de atores interdependentes, construir políticas de desenvolvimento para o Estado de Santa Catarina significa consolidar e solidificar o seu Sistema Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação. Significa entender a inovação como resultado de processos interativos, em nível regional, nacional e internacional, entre pesquisadores e organizações detentoras de conhecimentos, tácitos ou codificados, e não como sendo o produto isolado de países, de governo, de pessoas, institutos de pesquisa ou empresas.

O aprofundamento do conhecimento e o surgimento de novos campos do saber, que estão surgindo com a transformação digital, conduzem a novas áreas de especialização na ciência, na tecnologia e no sistema produtivo. Essa situação induz à necessidade de aprendizado constante, em que a interdisciplinaridade é essencial. Um produto ou processo é, de fato, a síntese de combinações de muitos componentes, sendo cada um deles resultado de aplicações de tecnologias ao longo das diversas etapas dos processos produtivos. Assim, a especialização e a complexidade geram a necessidade de organizar os processos de inovação para facilitar interações entre diferentes agentes. As redes de pesquisa, a emergência de micro e pequenas empresas de base tecnológica e os arranjos produtivos locais inovadores são ferramentas de articulação, interação e construção do conhecimento adequado para atender às necessidades das pessoas, das organizações e da sociedade.

As políticas voltadas ao desenvolvimento são marcadas por algumas premissas fundamentais, dentre as quais devem ser salientadas, como fatores centrais, o reconhecimento da cultura, da educação, do aprendizado técnico-científico e da inovação, de maneira a compatibilizar a competitividade com a sustentabilidade ambiental, econômica e social, valorizando as potencialidades locais e explorando as oportunidades existentes para a melhoria do bem-estar da população. Nesse sentido, é fundamental dotar o Estado de uma infraestrutura laboratorial e de comunicação, alinhadas às novas perspectivas da indústria 4.0, assim como de pessoal altamente qualificado para a realização de pesquisas científicas e tecnológicas descentralizadas, como base para o avanço do conhecimento e o desenvolvimento social. Igualmente, torna-se importante a consolidação da cooperação internacional como forma de dar-lhe dimensão universal.

A política catarinense de ciência, tecnologia e inovação deve se constituir num dos eixos estratégicos do direcionamento do futuro governo, envolvendo as diferentes universidades do estado, públicas e comunitárias, os institutos de pesquisa, os centros de inovação e os agentes econômicos e sociais, para promover o avanço do conhecimento, o desenvolvimento de novas tecnologias, a concepção, o desenvolvimento e a incorporação de inovações que possam contribuir para a melhoria da qualidade de vida de todos os habitantes de Santa Catarina, de forma sustentável.

AÇÕES PROPOSTAS

Consolidar e ampliar a rede catarinense de centros de inovação e integrá-los entre si.

Desenvolver o programa de formação de gestores dos centros e habitats de inovação.

Apoiar as ações indutoras de geração tecnológica em áreas estratégicas para Santa Catarina, fazendo com que a ciência e tecnologia forneçam soluções para o desenvolvimento de cada uma das regiões do Estado.

Desenvolver ações de qualificação profissional voltadas às novas bases tecnológicas.

Estimular a expansão e consolidação de setores voltados à inovação, de forma a aumentar a geração de valor e rendimento médio dos empregos.

Oferecer oportunidade para jovens e adultos entrarem no mercado de trabalho na área de tecnologia da informação e comunicação (TIC), por meio de cursos profissionalizantes.

Fortalecer o programa de incentivo ao empreendedorismo inovador, disponibilizando recursos, capacitações e suporte para transformar ideias inovadoras em empreendimentos de sucesso.

Fortalecer programas de capacitação voltados à criação de startups digitais, difundindo a cultura do empreendedorismo inovador.

Fomentar a instalação de polos de desenvolvimento científico e tecnológico, especialmente nas áreas de educação, saúde e segurança, transformando-os em referência, oferecendo soluções de otimização desses serviços.

Articular redes de parcerias institucionais, visando a incubação de novas micro e pequenas empresas de base tecnológica em setores estratégicos para o desenvolvimento econômico e social de Santa Catarina.

Priorizar os projetos de pesquisa e desenvolvimento vinculados aos programas de desenvolvimento regional.

Aumentar gradativamente, de forma sustentável, os investimentos em CT&I.

Incentivar a formação de pesquisadores.