Menu fechado

Desenvolvimento Econômico, Geração de Emprego e Renda

Em termos de desenvolvimento econômico, Santa Catarina tem se destacado nos últimos anos, perante os demais estados brasileiros. Segundo o Ranking da Competitividade, que mede a atração dos estados para grandes investimentos, Santa Catarina foi o segundo mais competitivo do Brasil no ano de 2017, perdendo apenas para São Paulo. Cabe destacar as melhorias no capital humano, pesquisas, inovação e potencial de mercado, que vem acontecendo em nosso Estado ao longo do tempo. São políticas públicas direcionadas para estes objetivos, que tiveram continuidade e contaram com as parcerias da FIESC, FACISC, SEBRAE entre outras entidades da sociedade civil organizada, fundamentais para o desenvolvimento.

O Desenvolvimento Econômico do Estado é da maior importância para a promoção do Desenvolvimento Social. O aumento no número de empregos, o crescimento da renda média e a melhoria da qualidade de vida da população depende do sucesso da inserção da produção catarinense nos mercados nacional e internacional.

O efetivo apoio do Estado, nas mais diversas modalidades ao setor produtivo catarinense, é indispensável para a promoção do Desenvolvimento Econômico e Social.

AÇÕES PROPOSTAS

Viabilizar obras estruturantes necessárias ao Desenvolvimento Econômico, de forma a potencializar as oportunidades de expansão da atividade econômica do Estado e reequilibrar, em todo o seu território, a população e o desempenho da economia.

Garantir a qualificação permanente da população, priorizando a educação, em todos os níveis, como componente estratégico para o desenvolvimento econômico.

Estimular o desenvolvimento tecnológico no Estado, visando a produção e a exportação de itens com alto valor agregado, com ações voltadas à Indústria 4.0.

Orientar a política estadual e apoiar os municípios no desenvolvimento das áreas de ciência e tecnologia e inovação.

Dar suporte à implantação dos Centros de Inovação e ambientes de empreendedorismo inovador similares, propondo a especialização inteligente para esses habitats e microrregiões onde eles estão inseridos.

Impulsionar a inovação, induzindo formação de múltiplas entidades empresariais e educacionais, comprometidas com ações estratégicas transformando o Estado em um polo empreendedor e inovador de referência nacional e internacional.

Incentivar o empreendedorismo inovador e ampliar programas governamentais de apoio à criação e ao desenvolvimento de micro e pequenas empresas de base tecnológica, com alto potencial de crescimento.

Modernizar a estrutura produtiva atual, incluindo estudos de prospecção como critério para concessão de incentivos aos negócios inovadores.

Estimular a conexão política entre as pessoas, instituições e empresas, que fazem parte do ecossistema catarinense de inovação.

Criar mecanismos de apoio aos empreendedores informais autônomos, por meio do cadastro simplificado, garantindo o acesso à utilização de documentos fiscais.

Consolidar os Centros de Inovação, com foco no desenvolvimento regional e demais ambientes que favoreçam o crescimento do Estado.

Apoiar as micros, médias e pequenas empresas a aumentar sua participação nas exportações do Estado, mobilizando as principais instituições de fomento, criando e ampliando programas de inovação.

Incentivar a competitividade e expansão das empresas localizadas no Estado, na implantação de novos empreendimentos em áreas deprimidas.

Criar oportunidades para a agregação de valor à produção agropecuária, pesqueira e industrial, através da modernização dos processos produtivos, possibilitando o aumento da produtividade e a exploração de atividades mais lucrativas.

Promover a avaliação do potencial mineral de todas as regiões do Estado, viabilizando a criação de novos negócios e oportunidades de emprego.

Garantir proteção às empresas catarinenses contra a concorrência desleal, por meio da importação indiscriminada de produtos concorrentes e com incentivo de tarifas aduaneiras, patrocinada por governos estaduais.

Viabilizar a participação de empresas catarinenses em feiras e exposições nacionais e internacionais, fomentando a inserção da economia do Estado nos mercados mundiais de serviços, turismo, indústria e comércio.

Integrar as secretarias e órgãos de estado, visando elevar a eficiência institucional e melhoria do ambiente de negócios.

Organizar e expandir o processo de atração de investimentos e de talentos para Santa Catarina.

Expandir a oferta de disciplinas e cursos técnicos, de graduação e pós-graduação em áreas relacionadas às tecnologias emergentes.

Fortalecer a política de atração de investimentos empresariais, de forma descentralizada, e de acordo com a vocação econômica dos municípios.

Formular plano de desenvolvimento econômico regional, para cada mesorregião do Estado, com o intuito de conhecer cada matriz econômica e potenciais oportunidades de negócios.

Fomentar o programa de desenvolvimento e redução das desigualdades regionais, dinamizando a economia das regiões com baixos indicadores de desenvolvimento em Santa Catarina.

Implementar políticas que estimulem a organização de arranjos produtivos, facilitando o acesso a créditos financeiros por meio de parcerias com bancos oficiais.

Expansão e reestruturação do programa de microcrédito aos microempreendedores individuais (MEIs).

Simplificar e desburocratizar a abertura e fechamento de empresas visando reduzir o tempo e os custos envolvidos.

Estabelecer políticas indutoras de modernização do comércio e serviços, implementando processos de desburocratização e a utilização intensiva de tecnologias e documentação eletrônica, bem como a diminuição dos custos.