Menu fechado

Energia

A energia, ofertada com qualidade e preços competitivos, é um insumo estratégico e fator determinante para o desenvolvimento. Em Santa Catarina, as redes de distribuição de energia elétrica e de gás natural constituem um importante elo em nossa cadeia de desenvolvimento.

Quanto à energia elétrica, deve-se registrar o crescimento da capacidade instalada de geração nos últimos anos no Estado, devido à grande quantidade de Pequenas Centrais Elétricas (PCH) que estão sendo construídas, aproveitando o potencial hidráulico proporcionado pelo relevo catarinense. Devem ser consideradas também as usinas eólicas que estão sendo instaladas e o potencial de biomassa que se apresenta como fonte alternativa de aproveitamento dos dejetos de suínos, aves e de aterros sanitários.

A Celesc Distribuição é responsável pela distribuição de energia em 92% do território de Santa Catarina, alcançando 264 municípios e 3 milhões de unidades consumidoras. A área restante é suprida por 25 cooperativas de eletrificação, principalmente nas regiões extremo sul e extremo oeste.

Para a energia elétrica, entre os principais desafios a serem enfrentados, destacam-se: atender as metas de qualidades exigidas pelos nossos usuários e definidas pela ANEEL; atender a crescente demanda de energia, com a expansão constante dos sistemas de alta, média e baixa tensão, além das novas tecnologias, como veículos elétricos; promover o atendimento de qualidade nas áreas rurais; manter o equilíbrio econômico-financeiro da Celesc; e, por último, inserir as fontes de energia renováveis na matriz energética de Santa Catarina.

Quanto ao gás natural, Santa Catarina é o terceiro Estado do país em extensão de redes de distribuição, e a SCGÁS está entre as maiores distribuidoras do Brasil, sendo a segunda em número de municípios atendidos. Nesse sentido, a expansão da rede de gás natural passa a constituir importante componente da infraestrutura do Estado para a viabilidade de novos empreendimentos industriais, redução de custos, melhoria da competitividade e da qualidade dos nossos produtos e diminuição da poluição ambiental, por sua combustão limpa, com menor emissão de dióxido de carbono na atmosfera. Por conta de seu caráter estratégico, o principal desafio para o setor é a expansão da infraestrutura de distribuição de gás natural.

AÇÕES PROPOSTAS

Viabilizar a compra de energia proveniente de geração distribuída de fontes renováveis, fornecendo contratos de energia necessários para viabilizar economicamente os empreendimentos no Estado.

Criar e implantar um programa de transformação de redes rurais monofásicas em trifásicas com o intuito de melhorar a qualidade do fornecimento e possibilitar o aumento da produção das pequenas propriedades.

Expandir a rede de distribuição de gás para novos municípios e ampliá-la nos municípios já atendidos.

Ampliar os investimentos em energia elétrica nas áreas rurais, garantindo a melhoria da qualidade de vida no campo.

Promover chamadas públicas para atendimento pleno da demanda de gás do mercado consumidor atual e projetado.

Impulsionar a geração de energia elétrica através de fontes limpas e renováveis como, por exemplo, a energia solar e a eólica.

Promover ações de eficiência energética na indústria, comércio, iluminação pública, e residências, como forma de reduzir os gastos com energia elétrica, aumentando a competitividade do Estado.

Implementar política de geração de energia alternativa, voltada para a solução dos problemas ambientais.

Apoiar os projetos de produção de biogás gerado por dejetos de suínos e aves e aterros sanitários.

Alavancar a modernização das redes de distribuição de energia elétrica e serviços, com novas tecnologias.

Incentivar projetos de P&D que promovam a cultura da inovação no setor energético catarinense.